Arquivo para setembro, 2012

Integração

 

Pode parecer que a cozinha e a lavanderia não tem muito em comum, mas elas têm.

Primeiro, por se tratarem de ambientes molhados e, depois, porque sempre ficam próximas na maior parte dos projetos que a gente tem acesso, não é verdade?

A lavanderia e a cozinha têm muito a ver com limpeza e, nesse caso, temos que prestar atenção para conseguir organizar os dois ambientes corretamente.

Seguem, abaixo, algumas dicas:

  • Com crianças em casa, tanto na cozinha como na lavanderia, devemos prestar muita atenção na altura dos objetos e nos produtos que podem causar danos;
  • Usar cestas plásticas, nos dois ambientes, facilita a limpeza caso vaze algum produto;
  • As cestas também ajudam a dividir melhor os produtos: tira limo, amaciantes, panos de limpeza etc.
  • Prateleiras servem para guardar os objetos e, ao mesmo tempo, para a decoração;
  • O ideal é dividir sempre tudo por tipo, assim sabemos exatamente o que temos e em que quantidade. No caso da cozinha (despensa) isso é imprescindível para a sua organização;
  • No caso dos plásticos e panelas, que ocupam um espaço grande, vale guardar tudo sem a tampa, empilhar conforme formato e guardar as tampas também em uma cesta plástica separada. Assim, você ganha o dobro de espaço nos armários!

Como vocês podem ver, as cestas são as grandes aliadas na organização da cozinha!

 

Anúncios

Dicas para falar em público

Considere o nível intelectual dos ouvintes

Saiba quem é a sua plateia e o que ela espera de você. Isso evita que a fala seja muito complexa ou muito superficial e disperse o público.  Além disso, dê espaço à interação.

Acabe com o “nééééééé” e com o ”ãããããããããã”

Quando o pensamento é mais veloz que a escolha das palavras, acabamos preenchendo essa defasagem com ruídos que, em casos graves, chegam a desconcentrar os ouvintes. Preste atenção em sua fala e procure evitar tal situação.

Vocabulário

Elimine palavras vulgares e gírias da fala, mas tenha cuidado com o vocabulário rebuscado. É importante que o ouvinte entenda o que está sendo dito. Pelo mesmo motivo, reserve a linguagem técnica para os iguais. Faça uso de estrangeirismos na medida certa e com a devida pronúncia.

Xiiiii, deu branco!

Esqueceu o que ia dizer? Não se desespere. Utilize sinônimos: “Na verdade, o que quero dizer é…” ou diga que retornará ao assunto mais a diante.

Ria de si mesmo

Se cometer uma gafe, ria com o público e prossiga. Não peça desculpas, pois isso dá a impressão de insegurança e despreparo.

Rápido ou devagar?

O modo de falar é natural de cada um e não há porque mudar isso. Se você fala rápido, procure ter uma boa dicção e fazer pausas ao final de cada raciocínio, com inflexão de voz que demonstre que o pensamento está encerrado. Para aqueles que falam mais calmamente, a dica é manter o contato visual com os ouvintes e, após pausas, volte a falar com mais ênfase e energia.  Rápido ou devagar, ponha ritmo na fala, alternando o volume e a velocidade.

Expressão Corporal

Evite mãos no bolso, braços cruzados, coçar a cabeça ou movimentos abaixo da linha da cintura. Procure agir naturalmente e manter contato visual, interagindo com o público.

Fontes: Superdicas para falar bem em público, Reinaldo Polito, Ed. Saraiva; M de mulher.

Produção de Concreto

No âmbito da engenharia civil, o uso da água é de suma importância no amassamento das misturas cimentíceas, sobretudo os concretos e argamassas. A mistura dos materias é feita dentro de um caminhão betoneira que fará o transporte do concreto até o seu local de uso. Para cada traço de concreto, entretanto, os caminhões betoneiras devem ser lavados para evitar contaminação da nova mistura assim como o acúmulo de incrustações na superfície interna do balão. Esse processo de limpeza dos caminhões exige aproximadamente 700 litros de água por caminhão e torna a água altamente básica, o que pode contaminar o solo ou afetar organismos aquáticos, caso seu descarte seja efetuado sem tratamento prévio.
Neste contexto, foi adicionado em novembro de 2009 à Norma Brasileira 15900, intitulada “Água para Amassamento do Concreto”, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o anexo A – “Requisitos para Utilização de Água Recuperada de Processos de Preparo do Concreto”, permitindo às empresas reuso da água, sem comprometer a qualidade do produto final.

Antigamente, para a produção de concreto somente era utilizada água potável. No entanto, com a disseminação das ideias do desenvolvimento sustentável, tendo em vista a quantidade do uso de água para amassamento, atualmente passaram a utilizar vários tipos de água, descritos a seguir:

  •   Água de abastecimento público: é adequada para uso em concreto e não necessita ser ensaiada;
  • Água de fontes subterrâneas: pode ser adequada para uso em concreto, mas deve ser ensaiada;
  • Água natural de superfície, água de captação fluvial e água residual industrial: pode ser adequada para uso em concreto, mas deve ser ensaiada; são exemplos de águas residuais industriais aquelas recuperadas de processos de resfriamentos, jateamento, corte, fresagem e polimento de concretos endurecidos;
  • Água salobra: somente pode ser usada para concreto não armado, mas deve ser ensaiada; de maneira geral, não é adequada à preparação de concreto protendido ou armado, devido aos seus teores elevados de cloretos, que podem comprometer a durabilidade do concreto pela corrosão das armaduras;
  • Água de esgoto e água proveniente de esgoto tratado: não é adequada para uso em concreto;

O BATE LASTRO

 

O Bate lastro é a estrutura montada para a lavagem de caminhões betoneira com sistema de decantação e filtragem. A água da lavagem dos caminhões é, então reaproveitada para lavagem do pátio, de caminhões, e outros equipamentos. Com esse método de reaproveitamento há considerável redução no consumo de água.
A utilização do Bate Lastro diminui o efeito nocivo do despejo de resíduos provenientes da lavagem de caminhões betoneira. O método revela-se tambémdos um trunfo econômico para as concreteiras que o utilizam, seja evitando o desperdício da água, recurso hídrico dotado de valor econômico, ou de maneira indireta, com o reconhecimento de mercado de que a empresa em questão tem medidas vigentes no que diz respeito à consciência ambiental.

Fontes: —ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15900. Água para amassamento de concreto.  Rio de Janeiro, 2009; Revista Concreto & Construções

 

 

Construção na China

O escritório de arquitetura norte-americano Trahan Architects teve seu projeto selecionado pelo grupo chinês Henan Hongguang Industry Group para a construção um edifício de uso misto em Zhengzhou, capital da província de Henan, na China. O empreendimento abrigará duas torres de hotel, além de escritórios e residências.

 

O complexo de aproximadamente 400 mil m² possui três torres e um grande átrio central. Os formatos dos edifícios são diferentes entre si: enquanto uma é bem triangular, outra tem é mais achatada e a terceira possui seus cantos arredondados. Para conectar os espaços, os arquitetos sugeriram que seja implantando um espaço verde de convivência no mezanino das torres.

Os edifícios ficarão ao lado da Erqi Tower, torre de 27 andares que atualmente é o principal ponto turístico da cidade. O projeto do Trahan Architects faz parte de um plano de desenvolvimento de Zhengzhou.

A prefeitura da cidade está analisando o projeto, que ainda não tem data para começar a ser construído. Este é o primeiro empreendimento do escritório fora dos Estados Unidos.

 

 

 

 

 

Fonte :  http://www.piniweb.com.br/

Nuvem de tags