Arquivo para outubro, 2012

hotel subaquático

A empresa Dubai World fechou um acordo com uma empresa suíça para construir hotéis abaixo do nível do mar em Dubai. A cidade dos Emirados Árabes Unidos é conhecida por ser extremamente moderna, com os maiores arranha-céus do mundo com tecnologias avançadas e largas avenidas.
O Water Discus Hotel será construído parcialmente debaixo d´água. Ele terá dois discos. Um acima da água e o outro submerso, que ficará a 10 metros de profundidade. Os dois serão ligados por escadas e elevadores, os quais permitirão o acesso dos hóspedes aos ambientes.

O hotel terá 21 quartos, além de um saguão e um bar. Os quartos terão paredes transparentes, com uma iluminação especial. Assim, os hóspedes poderão enxergar até os menores seres aquáticos.

O hotel deverá custar 120 milhões de dólares. A empresa responsável pelo design do hotel é a Deep Ocean Technology (DOT). Ela afirma que todas as medidas de segurança serão feitas para que os hóspedes não corram nenhum risco.

O objetivo da DOT é que uma parte seja construída acima do nível do mar, com uma altura suficiente para que o hotel não corra riscos em caso de tsunamis e alagamentos. Por sua vez, a parte submersa terá com um mecanismo capaz de subir à superfície automaticamente nos momentos de perigo.

Com esse projeto, Dubai deve receber mais uma inovação. A DOT acredita que o hotel aquático também vá abrir um novo campo para a criação de ecossistemas subaquáticos.

fonte: http://info.abril.com.br/noticias/tecnologias-verdes/dubai-ganhara-hotel-subaquatico-03052012-43.shl

Anúncios

Projetos 2014

O Ministério da Cultura (MinC) anunciou os dois finalistas do Concurso Nacional de Arquitetura Arenas Culturais, que escolherá o melhor projeto para a construção de espaços coletivos de convivência para a Copa do Mundo de 2014. Os escritórios Chirochi Shimizu, de Santa Catarina, e Oficina de Arquitetos, do Rio de Janeiro, foram os dois escolhidos.

 

A proposta do governo é construir 12 espaços simultâneos de conteúdos culturais brasileiros, divididos em quatro focos: Brasil Diverso, Brasil Audiovisual, Brasil Criativo e Brasil das Artes. As Arenas Culturais irão receber mostras de gastronomia, design, dança, música, teatro e outros itens que oferecerão aos visitantes uma visão do conjunto do país. Cada um dos espaços será construído em uma das cidades-sede do Mundial.

O projeto de Chirochi Shimizu propõe a construção de um edifício com fachada composta por brises, que representam as ocas dos balaios indígenas. O verde, cor representativa do Brasil, segundo com os arquitetos, está presente nas paredes e na vegetação.

A Arena proposta no projeto de Santa Catarina será construída no centro de uma praça pública com diferentes níveis, para integrar os espaços internos e externos. Estes níveis se conectarão por degraus cobertos por grama.

Já o projeto da Oficina de Arquitetos prevê a construção de uma estrutura metálica com cobertura circular, fazendo referência ao formato da bola de futebol. O anel da cobertura será formado por hexágonos de LED controlados por um computador, transformando-a em um placar eletrônico.

Uma praça também fará a integração entre e arena e o público. De acordo com os arquitetos, as peças utilizadas na construção da estrutura poderão ser reutilizadas em creches e escolas da cidade sede.

O projeto vencedor será anunciado pelo MinC no próximo dia 10 de outubro, durante cerimônia realizada em Salvador, na Bahia. O primeiro colocado receberá um prêmio de R$ 25 mil e um contrato com o MinC no valor de R$ 315 mil para desenvolver os projetos executivos de arquitetura e engenharia. O segundo colocado receberá R$ 15 mil.

De acordo com o Ministério, dos quatro projetos apresentados ao júri, dois foram desclassificados por não atenderem ao edital do concurso. Assim, não será entregue o prêmio anunciado para o 3º colocado.

Chirochi Shimizu (SC)

 

 

 

Oficina de Arquitetos (RJ)

 

 

 

 

Nuvem de tags