Arquivo para a categoria ‘noticias’

Dicas para falar em público

Considere o nível intelectual dos ouvintes

Saiba quem é a sua plateia e o que ela espera de você. Isso evita que a fala seja muito complexa ou muito superficial e disperse o público.  Além disso, dê espaço à interação.

Acabe com o “nééééééé” e com o ”ãããããããããã”

Quando o pensamento é mais veloz que a escolha das palavras, acabamos preenchendo essa defasagem com ruídos que, em casos graves, chegam a desconcentrar os ouvintes. Preste atenção em sua fala e procure evitar tal situação.

Vocabulário

Elimine palavras vulgares e gírias da fala, mas tenha cuidado com o vocabulário rebuscado. É importante que o ouvinte entenda o que está sendo dito. Pelo mesmo motivo, reserve a linguagem técnica para os iguais. Faça uso de estrangeirismos na medida certa e com a devida pronúncia.

Xiiiii, deu branco!

Esqueceu o que ia dizer? Não se desespere. Utilize sinônimos: “Na verdade, o que quero dizer é…” ou diga que retornará ao assunto mais a diante.

Ria de si mesmo

Se cometer uma gafe, ria com o público e prossiga. Não peça desculpas, pois isso dá a impressão de insegurança e despreparo.

Rápido ou devagar?

O modo de falar é natural de cada um e não há porque mudar isso. Se você fala rápido, procure ter uma boa dicção e fazer pausas ao final de cada raciocínio, com inflexão de voz que demonstre que o pensamento está encerrado. Para aqueles que falam mais calmamente, a dica é manter o contato visual com os ouvintes e, após pausas, volte a falar com mais ênfase e energia.  Rápido ou devagar, ponha ritmo na fala, alternando o volume e a velocidade.

Expressão Corporal

Evite mãos no bolso, braços cruzados, coçar a cabeça ou movimentos abaixo da linha da cintura. Procure agir naturalmente e manter contato visual, interagindo com o público.

Fontes: Superdicas para falar bem em público, Reinaldo Polito, Ed. Saraiva; M de mulher.

Anúncios

Convivência em grupo

Manter uma boa relação de convívio entre colegas de sala ou de trabalho é essencial, até porque essas pessoas (goste você ou não) estão presentes no seu cotidiano e tratá-las de uma forma harmoniosa e respeitosa pode fazer diferença na sua vida profissional, além de tornar o ambiente muito mais agradável.

1) Coloque a ética em primeiro lugar: não há nada pior do que aquelas pessoas que querem ganhar vantagem em tudo. Pessoas assim, não deixam passar uma oportunidade sem querer sair ganhando em cima.

2) Invista em informação: estude, leia, viaje sempre que puder, vá ao cinema, ao teatro!

3) Adquira desenvoltura social: participe sempre que puder de jantares de negócios, coquetéis, feiras, palestras, cursos. Você poderá ganhar muitos pontos positivos na sua carreira se conseguir se sair bem nessas situações. É bom manter contatos profissionais.

4) Cuide da aparência: é muito difícil ter uma segunda chance de causar uma boa primeira impressão. Pense nisso!

5) Seja seletivo, não preconceituoso: não torça o nariz para tudo o que é novo ou diferente daquilo do qual esta habituado. O preconceito faz com que as pessoas percam novas oportunidades.

6) Saiba ser reverente sem ser subserviente: a hierarquia existe para que todos respeitem, mas não confunda respeito ao chefe com bajulação.

7) Mantenha o bom humor: mantenha o alto astral no seu dia a dia, ele faz seu trabalho render e aparecer mais, pode confiar. Nada mais desagradável do que um colega mal humorado que só sabe reclamar do trabalho e da vida.

8) Seja cooperativo e não competitivo: saber trabalhar em equipe é hoje uma das qualidades essenciais de um bom profissional.

9) Fuja das fofocas: não seja aquele profissional que aproveita a hora do cafezinho para ficar falando da vida alheia. Escute mais do que fale.

10) Gerencie seu estresse: lembre sempre que há vida fora do trabalho. Problemas pessoais devem ser resolvidos em casa e problemas profissionais na empresa.

 

Fonte: http://www.supersecretariaexecutiva.com.br

Libere a imaginação

 

Milhões de adeptos dizem que os mandalas são objetos coloridos que atraem sorte e boas energias. “Fazer mandalas é fruto de imaginação, ou seja, um desenho nunca será igual ao outro“. Aqui você aprende a criar seu próprio mandala, e só seguir o passo a passo e deixe sua criatividade fluir!

Material necessário

– Um CD;
– Uma tampinha de garrafa;
– Peças para bijuteria do formato e cor que você preferir;
– Uma pinça de ponta fina;
– Cola branca;
– Cola glitter;
– Verniz spray incolor.

Modo de fazer
– Para trabalhar de dentro para fora, o primeiro passo é criar o centro da mandala. Cole a tampinha no meio e cubra a parte de cima com glitter prateado.
– Na primeira camada, cole lantejoulas verdes em volta da tampinha. Escolha pecinhas cor de laranja para colocar entre as lantejoulas, na camada de baixo, e miçangas amarelas para colar no meio das lantejoulas. Você pode passar cola branca nas pecinhas ou no espaço onde vai colar. Uma dica é pegar as continhas com a pinça (fica bem mais fácil e não gruda nos dedos).
– Os risquinhos de cola são preenchidos com um tipo de vidrilho fosco, vermelho. No outro espaço, você pode colar miçangas brilhantes para dar um contraste, uma por uma, com muita delicadeza.
– A mandala está quase pronta, mas pode ficar mais bonita.
– A tampa é toda rodeada de arrozinhos com brilho.
– Depois, finalize com uma pecinha colorida para fechar o círculo.
– Para dar o acabamento, use tinta alto-relevo para cobrir as pontas, os buraquinhos que ficam. No final, para fixar melhor as peças e dar mais brilho, você pode aplicar o verniz spray e deixar secar por 3h. A mandala está pronta!

Custo total: R$ 5,00
Preço sugerido para venda: R$ 15,00

Fonte: http://tvg.globo.com

Climatizador de ar

Existem algumas alternativas disponíveis no mercado para refrescar ambientes residenciais e comerciais. A alternativa que oferece maior potência é o ar condicionado, mas há outras opções como os climatizadores, que tem boa funcionalidade e apresenta aspectos positivos quanto ao custo beneficio e consumo, mesmo que não atinja a mesma potência dos condicionadores.

O climatizador possui um ventilador interno que aspira o ar ambiente através de um painel de evaporação que circula sobre a água. Nesse sistema consiste uma troca de calor que faz com que a água evapore, retire o calor ambiente e melhora a umidade relativa do ar através da liberação de ar climatizado. Seu consumo de energia elétrica é baixo, também não contém os gases presentes no ar condicionado que é prejudicial à camada de ozônio se houver vazamento, por esses fatores é considerado de baixo impacto ambiental.

São disponibilizados no mercado dois tipos de climatizadores os portáteis, que são mais comuns e os de parede que se assemelham ao ar condicionado. O custo para aquisição, instalação e manutenção de um climatizador é muito bom se comparado aos condicionadores. É indicado para cidades com baixa umidade do ar, pois além de climatizar contribui para a melhora da umidade e qualidade do ar. Alguns modelos de fabricação mais modernos tem também a função de aquecedor, podendo ser útil em dias mais frios e ionizador função que permite passagem do ar por um filtro que libera íons o que deixa o ar até 30 % mais puro.

Fonte: http://clickobra.com

Grandes Gestos

 

Pequenos grandes gestos que contribuem para melhorar a vida das pessoas e o futuro do planeta.

1 – Troque informação e compartilhe conhecimento

Princípio básico para melhorar o mundo, a informação e o conhecimento podem transformar a realidade de muita gente por aí afora. Ensine às crianças o que é ser solidário; contribua com a criação de bibliotecas comunitárias; promova a comunicação e a integração de sua comunidade; reivindique na mídia espaço para ações do bem; interaja com os poderes legislativo e executivo; estude, leia e aprenda; compartilhe seu conhecimento com quem dele precisar.

Não precisa ser educador mas, um pouco de boa vontade em apoiar movimentos sociais, em se comunicar e em aprender, não faz mal a ninguém! Afinal, todo ensinamento é também uma aprendizagem!

2 – Cuide do Meio em que você vive

Plantar árvores, proteger e ajudar os animais abandonados, cuidar das plantas, adotar os 3R´s (Reduzir, Reutilizar e Reciclar) como ideologia de consumo, destinar corretamente os resíduos e cuidar do patrimônio da sua cidade. São atitudes básicas a serem tomadas se você quer cuidar bem do Meio onde vive. É tudo uma questão de comprometimento.

3 – Engaje-se em movimentos solidários

Fazer o bem sem olhar a quem. Esta é mais que uma oportunidade, é um ideal de vida. Ao ajudar o próximo, você planta uma semente de solidariedade que sustenta uma corrente do bem no mundo. Este engajamento pode ser feito de forma voluntária ou mesmo através de trabalhos no 3º Setor.

Como se engajar? Doe alimentos em campanhas contra a fome, doe remédios, doe o que você não usa mais e pode ser útil a alguém, ajude bancos de leite caso esteja amamentando, colabore com idosos e portadores de necessidades especiais, contribua com instituições de utilidade pública, seja um voluntário, doe conhecimento, doe sangue, apóie pessoas em situações complicadas, se você é empresário ou comerciante ajude através de sua empresa, trabalhe no Terceiro Setor! Maneiras de ajudar não faltam!

4 – Cuide do trânsito

Já reparou no tanto de motorista mal educado por aí? Tanta gente estressada, à beira de um ataque de nervos, violência no trânsito, mortes, atropelamentos… Se cada um fizer sua parte, isso pode mudar! Seja mais gentil, respeite a faixa de pedestres, seja um pedestre responsável, adote a carona solidária, respeite as leis, não beba quando for dirigir e uma peça chave: tenha paciência.

“Perceba que as estatísticas do trânsito são reais e que esses números dizem respeito à forma como nós todos nos comportamos pelas ruas e estradas.”

5 – Incentive as oportunidades de trabalho

Ajude as pessoas a encontrarem sua sustentabilidade econômica, colabore com as cooperativas de reciclagem separando seu lixo, participe voluntariamente de projetos de qualificação profissional, incentive a organização de cooperativas e ajude quem se encontra desempregado. Seu conselho e suas dicas podem ser muitos úteis a quem necessita. O que vale não é dar o peixe, o que vale é ensinar a pescar.

6 – Pratique o consumo consciente

Seja um consumidor consciente e solidário! Valorize os produtos locais, produzidos em cooperativas ou economias solidárias, gaste conscientemente, evite endividamentos,não desperdice água, alimento ou energia, participe de feiras de trocas e repasse informações sobre consumo consciente a outras pessoas que ainda desconhecem esse caminho. E o mais básico de tudo: Lembre sempre dos 3 R´s – Reduzir, Reutilizar e Reciclar

7 – Amplie o contato com as pessoas

Comunique-se! Exercite o diálogo e principalmente a compreensão, seja gentil e lembre-se de palavras simples como “por favor”, “obrigada”, “desculpe”, ofereça seu carinho e sua amizade a quem precisa, respeite as diferenças, aprenda a escutar e busque sempre o caminho da tranqüilidade e da paz para todos.

O bom relacionamento entre as pessoas é pressuposto fundamental para a formação de uma sociedade coesa, com os conceitos de união e de coletividade arraigados em sua essência.

8 – Cuide dos outros e não se esqueça de você

Tanta coisa que você pode fazer para ajudar o outro… e para se ajudar? Sem dúvidas, trazer o bem a que necessita já nos ajuda e muito, nos torna pessoas melhores, mais satisfeitas com o papel que desempenhamos na sociedade. A dica aqui é cuidar da saúde do corpo e da mente, cultivando os bons sentimentos e as boas relações, aceitando a ajuda sem deixar que o orgulho atrapalhe, não deixando que o medo atrapalhe seu espírito solidário, muito menos deixando que outras pessoas tirem vantagem sobre coisas que deveriam ser altruístas, usando-as para uma promoção pessoal.

Olhe à sua volta e perceba que onde há solidariedade verdadeira, há o bem, há união e amor. O otimismo nunca deve ser deixado de lado e o principal é que, por mais obstáculos que enfrentemos, nunca desistamos de um futuro melhor.

Façamos com que cada dia de nossas vidas seja o dia da realização de um sonho: o sonho de um futuro melhor construído por nossas próprias mãos!

 

Fonte: http://www.coletivoverde.com.br/

Estádio Corinthians

Sistema de cinco mil lux permitirá transmissões  em HD 3D. Arena também terá telão na fachada. Veja vídeo

As lâmpadas utilizadas na Arena serão de multivapor com temperatura de cor de seis mil K, bastante brancas, o que, segundo Sérgio Costa, engenheiro de projetos da Osram, oferece ótima fidelidade de cores (90%). Os projetores utilizados promovem um facho de luz controlado, com foco em pontos específicos planejados em projeto, evitando ofuscamento do público. A qualidade da iluminação ainda se destaca pela uniformidade da luz em todo o campo, alcançada pela distribuição dos projetores na cobertura do estádio.

O projeto arquitetônico concebeu a cobertura com uma geometria uniforme. “A cobertura foi um pouco questionada porque é diferente, mas ela consegue, com sua geometria, oferecer a maior uniformidade de distribuição de luminárias”, explica Aníbal Coutinho, arquiteto projetista do estádio.

“Combinando a questão de eficiência, fidelidade de cores, uniformidade e nível de iluminação, podemos dizer, sem dúvida nenhuma, que esta é a melhor iluminação de campo do mundo”, afirma Costa. A alta qualidade da iluminação qualifica o estádio para transmissões de jogos em HD 3D.

A arena ainda contará com um telão na fachada, com 170 metros x 20 metros, feito por pontos de led em uma fachada de vidro. O telão transmitirá vídeos, imagens estáticas e formatos diversos a longas distâncias. “Não visa reproduzir publicidade, mas sim a torcida do Corinthians, pulsante, na fachada do estádio”, diz Coutinho.

A geometria da cobertura foi feita pensando na distribuição dos projetores, que fazem uma distribuição uniforme da luz

 

A fachada receberá um painel de pontos de led de 170 x 20 m

Fonte: http://www.piniweb.com.br/

Descartar corretamente o óleo usado

 

Os órgãos ambientais (CONAMA e MMA), juntamente com os órgãos reguladores da Indústria do Petróleo, combustíveis e derivados (ANP e MME), decidiram que o melhor destino para esses resíduos é a coleta e o envio obrigatório a uma rerrefinadora de óleos. Isso tirará os contaminantes dos óleos lubrificantes usados ou contaminados e recuperará a sua maior quantidade possível de óleo básico.

Para alcançar esse objetivo, foi estabelecido um conjunto de regras que envolvem várias pessoas, desde o empresário que compra óleos para suas máquinas ao civil que faz periodicamente a troca do óleo do seu carro. São basicamente duas obrigações:

1 – Os geradores devem cuidar para que o óleo retirado do veículo ou equipamento fique corretamente armazenado enquanto espera sua destinação.

De forma que não contamine o meio ambiente e não seja ele próprio contaminado por outros produtos ou substâncias que dificultem ou impeçam a sua recuperação através do rerrefino.

2 – Os geradores devem entregar o óleo lubrificante usado ou contaminado ao seu revendedor ou diretamente para um coletor autorizado pela ANP.

Isso significa que quem é dono de um automóvel, seja ele um carro, motocicleta ou caminhão, ou de um equipamento que utiliza óleo lubrificante (trator, colheitadeira, barco, motor estacionário, gerador, etc.) tem obrigação de escolher um serviço de troca (posto, oficina mecânica, supertroca, troca em domicílio, etc.) que atenda à legislação ambiental, possua condições de armazenagem do óleo lubrificante usado ou contaminado e entregue este resíduo retirado do veículo ou equipamento ao coletor autorizado.

Fonte: http://www.coletivoverde.com.br

Nuvem de tags