Posts marcados ‘concreto’

Projetos 2014

O Ministério da Cultura (MinC) anunciou os dois finalistas do Concurso Nacional de Arquitetura Arenas Culturais, que escolherá o melhor projeto para a construção de espaços coletivos de convivência para a Copa do Mundo de 2014. Os escritórios Chirochi Shimizu, de Santa Catarina, e Oficina de Arquitetos, do Rio de Janeiro, foram os dois escolhidos.

 

A proposta do governo é construir 12 espaços simultâneos de conteúdos culturais brasileiros, divididos em quatro focos: Brasil Diverso, Brasil Audiovisual, Brasil Criativo e Brasil das Artes. As Arenas Culturais irão receber mostras de gastronomia, design, dança, música, teatro e outros itens que oferecerão aos visitantes uma visão do conjunto do país. Cada um dos espaços será construído em uma das cidades-sede do Mundial.

O projeto de Chirochi Shimizu propõe a construção de um edifício com fachada composta por brises, que representam as ocas dos balaios indígenas. O verde, cor representativa do Brasil, segundo com os arquitetos, está presente nas paredes e na vegetação.

A Arena proposta no projeto de Santa Catarina será construída no centro de uma praça pública com diferentes níveis, para integrar os espaços internos e externos. Estes níveis se conectarão por degraus cobertos por grama.

Já o projeto da Oficina de Arquitetos prevê a construção de uma estrutura metálica com cobertura circular, fazendo referência ao formato da bola de futebol. O anel da cobertura será formado por hexágonos de LED controlados por um computador, transformando-a em um placar eletrônico.

Uma praça também fará a integração entre e arena e o público. De acordo com os arquitetos, as peças utilizadas na construção da estrutura poderão ser reutilizadas em creches e escolas da cidade sede.

O projeto vencedor será anunciado pelo MinC no próximo dia 10 de outubro, durante cerimônia realizada em Salvador, na Bahia. O primeiro colocado receberá um prêmio de R$ 25 mil e um contrato com o MinC no valor de R$ 315 mil para desenvolver os projetos executivos de arquitetura e engenharia. O segundo colocado receberá R$ 15 mil.

De acordo com o Ministério, dos quatro projetos apresentados ao júri, dois foram desclassificados por não atenderem ao edital do concurso. Assim, não será entregue o prêmio anunciado para o 3º colocado.

Chirochi Shimizu (SC)

 

 

 

Oficina de Arquitetos (RJ)

 

 

 

 

Útil ao agradável

Dentre as vantagens que o aço oferece está à possibilidade de se trabalhar em várias frentes de serviços simultaneamente e a facilidade das ocorrências de chuvas não afetarem a montagem da estrutura, além de possibilitar a arquitetos, engenheiros e construtores soluções arrojadas, eficientes e de alta qualidade. Na construção civil, o aço pode ser utilizado de duas maneiras: base montada com componentes de aço ou para compor a estrutura de concreto armado.

A redução do tempo de construção, a racionalização no uso de materiais, mão de obra e o aumento de produtividade se tornaram fatores chave para o sucesso de qualquer empreendimento que utiliza o produto. “Hoje não consigo ver uma obra que não tenha no mínimo 70% de aço devido às grandes vantagens, como liberdade no projeto, menor custo, rapidez na conclusão da obra, organização no canteiro de obra e controle nos custos”, diz Janine Brito, diretora-executiva da Ferragens Pinheiro.

A engenheira Malú Guido, da Tecpro Engenharia, concorda com Janine e vai além. “O aço, junto ao concreto, é um dos materiais mais importantes na construção civil. Suas características técnicas possibilitam vãos livres maiores, maior flexibilidade na arquitetura e um processo construtivo mais rápido”, avalia. Roil Pinheiro, diretor comercial da Ferragens Pinheiro acompanha de perto o crescimento do uso do aço na construção civil. “Meu tio, o empresário Getúlio Pinheiro de Brito, foi um dos pioneiros no ramo do aço em Brasília. Desde pequeno, acompanho a crescente demanda do produto, decorrente dos inúmeros benefícios que ele apresenta. Sem dúvida, a utilização do material tornou-se indispensável em qualquer obra”, afirma o diretor.

O aço permite maior liberdade no projeto arquitetônico, maior flexibilidade para reformas, como a compatibilidade com outros materiais, adaptações, ampliações e menor carga nas fundações. “A importância do aço na construção civil pode ser observada principalmente na substituição de elementos em concreto, diminuindo o custo final”, explica Janine Brito.

O aço substitui o concreto em uma construção?

O concreto isolado (sem o aço) é utilizado para execução de pisos e parte de fundações, mas seu grande uso se faz conjugado com o aço: o concreto armado. A conciliação destes dois itens é que permite a execução de estruturas de edificações. “Não há como definir qual o melhor, tudo depende do tipo de projeto, do tempo de execução, do orçamento disponível, em suma, das características da obra”, calcula a engenheira Malú Guido.

As diferenças técnicas dos dois materiais são inúmeras, desde a composição do produto ao custo e ao modo de executar. O que se pode ressaltar é a capacidade do aço de vencer vãos maiores, permitindo áreas úteis maiores, o custo mais baixo do concreto armado, a execução mais rápida das estruturas em aço e a maior restrição (no caso de estruturas de aço) na escolha de materiais para vedação (paredes e pisos).

Janine argumenta que, tecnicamente, o aço não substitui o concreto, pois cada qual tem sua função. Outro ponto interessante ao trabalhar na estrutura do aço é a estrutura metálica ou revestida. Alguns ficam na dúvida em qual usar, mas a diferença está na estética.

 

Fonte: http://www.obra24horas.com.br/

Nuvem de tags